Transformar o ambiente do consultório pode transmitir relaxamento e tranquilidade ao paciente, aumentando a aceitação dos cuidados à saúde bucal. Conheça o sistema inovador que cumpre essas premissas. 

                                 

Finalmente, os consultórios e clínicas odontológicas podem empregar a política da humanização, graças a um novo sistema clean que adota o método da lateralidade, propiciando mais segurança e conforto ao paciente e ao profissional, e extraordinários benefícios para o ambiente odontológico.

Ao contrário dos ambientes hospitalares que cada vez mais ganham projetos humanizados, os consultórios e clínicas odontológicas ainda são idealizados segundo um modelo criado há 300 anos, baseado no sistema de decúbito dorsal da cadeira odontológica com equipamentos à vista e poluição visual.

É muito comum as pessoas terem medo de ir ao dentista. Entre as causas, Mariana Amaral, psicóloga especialista e mestre em Análise do Comportamento, enfatiza que estímulos presentes no ambiente odontológico "possuem propriedades altamente aversivas".  

Segundo uma pesquisa realizada pela Cyon – inteligência em saúde, com 132 pacientes, entre fevereiro de 2015 e outubro de 2016, em que observaram por um minuto a foto de um consultório tradicional, 45% respondeu que a sensação era de medo e 55% de tensão. O grupo era formado por 28 crianças na faixa de 5 até 12 anos; 80 pessoas dos 12 aos 50 anos e 42 entre 55 e 80 anos.   

O medo e a saúde bucal

Esse tipo de repulsa é problemático, pois o paciente com medo vai pouco ao dentista, o que prejudica a sua saúde bucal. 

Quando ele procura atendimento, apresenta grandes níveis de comprometimento, o que "aumenta a duração e a complexidade do tratamento, tornando este um evento ainda mais estressor, e diminuindo assim a chance de visitas futuras ao dentista", afirma a psicóloga. 

"Este é um ciclo que deve ser interrompido, pois traz perdas ao paciente e também ao profissional, que lida cada vez com quadros clínicos mais graves e comportamentos mais difíceis, aumentando seus níveis de estresse no trabalho", completa. 

 O espaço e o bem-estar

"O espaço físico não poderá eliminar o sofrimento do paciente, mas pode contribuir para melhorar o seu bem-estar e o dos funcionários", cita o artigo do Caderno 11 PROARQ da FAU/UFRJ, de autoria das arquitetas Patrícia Biasi Cavalcanti, Giselle Arteiro Nielsen Azevedo e Cristiane Rose Duarte. 

“Através de uma ambientação humanizada, é possível estimular reações positivas ao restabelecimento do equilíbrio físico e psíquico do usuário, minimizar efeitos estressores, além de contribuir na melhora da qualidade e no acolhimento”, diz a arquiteta Célia Bertazzoli, da Cabe Arquitetos. 

Sistema inovador

Pensando em proporcionar o atendimento confortável e seguro aos pacientes e reduzir os problemas causados aos próprios profissionais pela sala clínica tradicional, a técnica da lateralidade, onde o paciente fica deitado de lado na cama, foi desenvolvida pela Cyon – Inteligência em Saúde, através da parceria entre o cirurgião-dentista Roberto Motta, a fisioterapeuta Erika Dias e o engenheiro de produto Venício Venâncio. 

O sistema contém um consultório completo, sendo que a cadeira foi substituída pela cama odontológica, definida como uma maca adaptada para o paciente ficar em posição fetal e que contém os equipamentos para o dentista realizar todos os procedimentos odontológicos.

 

No novo modelo, o paciente tem a cabeça ancorada por uma almofada fixa, regulável e higienizável, além de se manter durante o tratamento abraçado a uma almofada e com as pernas protegidas pelo terceiro travesseiro, também higienizáveis. 

Ao observar o novo sistema por um minuto, o mesmo grupo alvo da pesquisa citada acima, apresentou um resultado bem diferente: 75% dos pacientes responderam que a imagem causou relaxamento e 25% tranquilidade. 

100% avaliou a estética do novo consultório, a posição de atendimento e a eliminação da cuspideira como sendo ótimas. Segundo a paciente Luana Marques “uma das principais vantagens é não ter aquela sensação de afogamento e ter eliminado a cuspideira, ela é nojenta”. Já a paciente Lucia Lares comentou sobre a estética do consultório que “só de não ter aquelas coisas penduradas que dá mais medo ainda, já é excelente”.


 

 

 

 

 

 

blog comments powered by Disqus

Núcleo de Pesquisa e Estudos Hospital Arquitetura

Tel.: 11 5584-5277
nupeha@hospitalarquitetura.com.br