Conheça o novo método de atendimento odontológico seus diferenciais, uma promessa em nova experiência para paciente e profissional.

 

O sistema desenvolvido pela Cyon - Inteligência em Saúde, permite todos os procedimentos odontológicos e todos os perfis de pacientes.

Neste consultório, o cirurgião dentista trabalha em uma postura mais confortável preservando a saúde de sua coluna, uma necessidade real no século 21, já que ainda a odontologia é considerada uma das profissões de maior risco para o profissional segundo a Occupational Information Network (um departamento americano que disponibiliza todo tipo de informação ocupacional), sendo o item de ergonomia um dos pontos mais críticos.

"A postura é como a janela para a coluna e, como a coluna vertebral influencia diretamente a saúde, podemos considerar que nossa postura também influencia a nossa saúde como um todo", alerta o quiropraxista Jason Gilbert.


  A técnica tradicional

Vamos entender como funciona o consultório convencional para compreender as diferenças com relação à nova técnica proposta pela Cyon. 

                           

No modelo tradicional, o paciente acomoda-se em uma cadeira com a coluna apoiada e o dentista deve se adaptar ao equipamento e ao tipo de procedimento realizado. 

O encosto da cadeira odontológica desloca-se para alterar a angulação, proporcionando campo de visão para o dentista, que na prática clinica opta por posicionar seu corpo em detrimento da velocidade e praticidade.

Para adequar sua distância focal, o profissional se projeta para cima do paciente, flexionando tronco e cabeça além de inclinar e girar os mesmos.

Os braços ficam sem apoio e fazem pequenas elevações para favorecer o procedimento, sobrecarregando músculos, articulações e pescoço. 

E a mesa auxiliar da cadeira odontológica fica lateralmente ao dentista, também promovendo rotações de tronco durante a prática. 


 Postura incorreta

Habituado com o consultório tradicional e a rotina dos procedimentos, sem se dar conta, o cirurgião-dentista desenvolve Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT), em função da postura incorreta e dos movimentos repetitivos prolongados. 

As regiões mais afetadas são ombro/braço (39,40%), punho/mão (18,30%) e pescoço (17,20%). 

Assim, dores no pescoço, coluna, ombros e braços são uma realidade que contribuem para a diminuição da qualidade de vida desse usuário e de sua produtividade no decorrer da carreira.  

Desnível de ombro, encurtamento dos músculos peitorais e cabeça rodada e/ou inclinada – que está associada ao movimento necessário para acesso visual ao seu campo de trabalho (interior da boca do cliente) ao longo dos anos incorporam-se à postura do cirurgião dentista, esteja trabalhando ou não.

 

A ergonomia a favor da saúde

Mas será que é necessário sofrer para trabalhar?

 A boas práticas ditam que a organização do trabalho deve proporcionar maior conforto, o que amplia, consequentemente, a vida útil profissional. 

A ergonomia é a grande aliada da boa postura. Baseada na análise comportamental do usuário, essa ciência busca produzir conhecimento, ferramentas e princípios suscetíveis de orientar racionalmente a ação de transformação das condições de trabalho. 

"Além de humanizar o trabalho, estudos ergonômicos contribuem para uma maior eficiência e rentabilidade do mesmo", ressalta o arquiteto Marcos Cardone da Cabe Arquitetos.

O modelo torna-se uma excelente alternativa para o profissional já que cumpre as normas preconizadas de ergonomia e torna o dentista tecnicamente melhor ao proporcionar visão, acesso com apoio de braços sem contorcionismo. Dessa forma o sistema além de aumentar a destreza do profissional, aumentar em consequência a produtividade do consultório.

 

Ensino da técnica nas Universidades Brasileiras

Já é possível encontrar alunos que estão se graduando com conhecimento completo da técnica de lateralidade, eles terão a oportunidade de escolher o melhor modelo de atendimento para implementarem em seus consultórios. Isso faz parte do processo de democratização da informação, a qual a odontologia atual está passando, com a divulgação e expansão de novos conhecimentos.

Segundo o Profº Mario Sergio Giorgi, coordenador de clínica em uma Universidade em São Paulo, “a técnica favorece o acesso e a visão direta durante o atendimento, e possibilita a oportunidade de se destacar para o profissional”.  Segundo o professor é muito importante que as instituições de ensino tragam novas tecnologias e oportunidades de aprendizado para os alunos, possibilitando a ciência de todas as possibilidades do mercado.

 

O novo consultório

Fundamentados nas normas ISO 6385 e ISO 11226, que estabelecem os requisitos necessários para se obter uma postura saudável durante o trabalho sentado no atendimento odontológico, e na análise do comportamento do profissional, o cirurgião-dentista Roberto Motta, a fisioterapeuta Erika Dias e o engenheiro de produto Venício Venâncio chegaram ao novo consultório.

O modelo desenvolvido para aplicação da técnica de lateralidade conta com a cama odontológica e com ponto de luz ergonomicamente planejado, travesseiros anatômicos, unidade de água, duas cadeiras,  bomba a vácuo e compressor.

Aqui, a cama odontológica substitui a cadeira tradicional.

 

O método de atendimento lateral

No novo consultório, o paciente fica deitado de lado ou em posição fetal, que lhe traz aconchego e maior sensação de segurança, facilitando a realização dos procedimentos. Como a origem do trabalho é o dente, só é necessário pequenos movimentos da cabeça do paciente para o acesso do profissional.

                           

Já o dentista fica sentado como se estivesse na mesa do escritório durante todo o tratamento, sem sobrecarregar a coluna. Essa posição simplifica o acesso à boca do paciente e possibilita a visibilidade tanto da arcada superior quando da inferior.

Os braços ficam apoiados pelo cotovelo ou antebraços, o que lhe proporciona mais firmeza e conforto durante a execução dos procedimentos. 

O campo de visão é obtido graças a movimentos mínimos  da cabeça do paciente que está apoiada no travesseiro . Com o novo sistema, o dentista fica mais próximo ao paciente possibilitando que ele regule o foco facilmente, evitando flexões excessivas de tronco e cabeça, inclinações e torções do corpo.

Sem dores e sem esgotamento, o profissional aumenta a produtividade e a sua qualidade de vida. 

Além das vantagens acima, o sistema da Cyon contribuiu para a saúde financeira da empresa odontológica, por ser um consultório policlínico que torna possível o compartilhamento com diferentes especialidades, permitindo ganho financeiro extra e/ou economia nos custos fixos.

 

Fonte: Artigo Cientifico "Ergonomia para o Cirurgião Dentista – Estudo Comparativo: Conceito de Sala Clínica que Consiste em Técnica de Decúbito Dorsal da Cadeira

 

 

blog comments powered by Disqus

Núcleo de Pesquisa e Estudos Hospital Arquitetura

Tel.: 11 5584-5277
nupeha@hospitalarquitetura.com.br