Tendências

Centro pioneiro no tratamento da AIDS no Brasil planeja construir sede de ponta

Reconhecido internacionalmente por seu trabalho de pesquisa e atendimento a portadores do vírus HIV, Centro Corsini dá início a projeto para construir conjunto à altura de sua trajetória

Maquete da futura sede do Centro Corsini traduz eficiência do serviço prestado a portadores do HIV



Especialista em atender portadores do vírus da Aids, o Centro Corsini planeja promover neste ano um amplo programa para dar início à construção de sua sede na cidade de Campinas (São Paulo). O objetivo é fazer com que todas as atividades estejam concentradas em um único local cuja estrutura física tenha a mesma qualidade do trabalho científico e de atendimento à população realizados pela instituição desde 1987. Para concretizar essa meta ambiciosa, os profissionais da Cabe Arquitetura, responsável pela concepção arquitetônica do espaço que será construído, também tiveram de produzir um profundo programa de pesquisa que permitisse constituir a realidade física da organização pioneira no atendimento a pacientes que contraíram o HIV no Brasil.


Quatro blocos serão construídos para concentrar atividades científicas e administrativas

A preocupação dos envolvidos no projeto era produzir um partido arquitetônico que traduzisse a história de 21 anos de uma organização com fins humanitários que hoje atua até mesmo fora do Brasil. Para isso, recorreram a estudos de teóricos e especialistas para conhecerem a definição e importância de organizações como o Corsini na sociedade atual. Também lançaram mão de questionários e um método próprio de entrevistas qualitativas, no qual quase a totalidade dos colaboradores da organização foi ouvida. Dessa maneira, foi possível conhecer o fluxo das atividades desenvolvidas, como a própria instituição enxergava seu trabalho até agora e de que maneira pretendia ter sua imagem retratada nos próximos anos. “O projeto do Corsini representa o estado da arte de uma organização de saúde centrada em um determinado conhecimento. É a expressão física da maturidade de uma organização com duas décadas ininterruptas de atividade humanitária”, afirma Marcos Cardone, arquiteto superintendente da Cabe. Quatro blocos serão construídos para concentrar atividades científicas e administrativas

Ao perceber que as organizações sociais tornaram-se fundamentais em países desenvolvidos, por reunirem especialistas numa determinada área e tornarem o conhecimento que eles produzem útil para a sociedade, a equipe da Cabe pôde montar a base da proposta arquitetônica apresentada à direção do Centro Corsini. O projeto a ser elaborado deveria evitar desperdícios de recursos, otimizar as relações entre as diversas áreas da instituição e, ao mesmo tempo, retratar o grau de excelência do trabalho realizado ali dentro. Já as entrevistas feitas com os que participam da instituição permitiram a formulação de idéias e propostas arquitetônicas que poderiam beneficiar o desenvolvimento das atividades cotidianas. “A partir deste ponto é que chegamos a uma proposta formal, capaz de representar a imagem do futuro desejada. Naturalmente, este não é o caminho mais fácil, mas é o que nos dá a maior certeza de que materializamos todos a mesma idéia sobre o que é possível e viável para assegurar o desempenho do Corsini de forma progressiva”, avalia Cardone.


Integração e flexibilidade

Integração física entre as áreas será facilitada por passarela que dará agilidade e rapidez no dia-a-diaA nova sede do Centro Corsini vai funcionar com quatro blocos em uma área de aproximadamente 5.000 m². Embora independentes e distintos, os setores administrativo e científico conseguirão se relacionar por conta da estrutura física planejada nos arranjos arquitetônicos nascidos do processo de pesquisa anterior. “A produção de conhecimento só se justifica se puder ser disseminada e aplicada. O conhecimento produzido no bloco do Instituto Corsini deve ter condições de ser difundido no Núcleo de Convenções e aplicado no Núcleo de Assistência. Esse elo precisa ser economicamente sustentável. Para isso foi criado o Núcleo Gestor, onde serão planejadas e executadas as ações de captação de recursos da organização”, comenta a arquiteta Célia Bertazzoli, coordenadora do projeto.

Essa integração será facilitada por uma passarela que fará a ligação física entre os espaços de forma rápida e direta. O desenho da nova sede também prevê a incorporação de aparatos tecnológicos, como base de dados e vídeo-conferência, para a comunicação em tempo real com instituições de ensino e pesquisa em todo o mundo.

Contudo, uma estrutura desse porte não poderá ficar engessada e alheia às inovações tecnológicas próprias do setor de saúde. Por isso, o conceito de flexibilidade que definiu a concepção do partido arquitetônico com núcleos de atividades distintas e interligadas também norteou a busca de soluções construtivas e de manutenção externa e interna dos quatro blocos. “Para esse projeto está sendo desenvolvido um sistema de vedação das fachadas em painéis cegos, ventilados e translúcidos com flexibilidade para atender a eventuais mudanças de uso sem que isso se transforme numa obra de reforma de fachada”, destaca Célia.

Do lado de dentro, as soluções para revestimentos de piso, divisórias, forro e sistemas de cabeamento também garantirão rapidez e qualidade na alteração de lay-outs quando o Corsini tiver de se adaptar a novas tecnologias ou ampliar suas áreas, sem que precise paralisar o fluxo das atividades desenvolvidas.Sistema de vedação das fachadas com painéis translúcidos será flexível para facilitar mudanças


Humanização

Uma das primeiras médicas do Brasil a ter contato com pacientes que contraíram o HIV, a infectologista Sílvia Bellucci está convencida dos benefícios que a nova sede, construída sob conceitos e parâmetros mais modernos da arquitetura hospitalar, trará para os cerca de 800 doentes atendidos todos os meses. “Vamos melhorar nossa capacidade de atendimento, ter um ambiente mais propício e ampliar a possibilidade de atuar junto à população”, avalia a idealizadora do Centro Corsini.

No Núcleo de Assistência, onde funcionarão o ambulatório e o centro médico especializado, será possível aprimorar exames de diagnóstico e terapias complementares – psicologia, medicina vibracional, cromoterapia –, apontadas pela doutora Sílvia como sendo de grande importância para avanços no tratamento.Nova sede do Centro Corsini terá mais de 5.000 m² e será construída na cidade de Campinas (SP)

Já as atividades de ensino e pesquisa, salas de aula e conferências ficarão concentradas no bloco do Instituto Corsini. Interligados a ele estarão o Núcleo Gestor, onde serão planejadas e executadas ações de marketing e captação de recursos, e o Núcleo de Convenções, com espaços para a realização de reuniões e seminários.

Desde sua fundação, o Centro Corsini já fez mais de 80 mil atendimentos a pacientes que buscaram desde diagnóstico da doença até ajuda psicológica. Por conta de sua atuação, a instituição virou referência no tratamento e prevenção da Aids e passou a ser procurada por empresas e escolas. Hoje, além do atendimento clínico, organiza ações de educação sexual e treina equipes multidisciplinares para atuar no combate à epidemia no Brasil e em outros países em desenvolvimento, como Moçambique, na África.

Newsletter

Selecione sua área de interesse:

Núcleo de Pesquisa e Estudos Hospital Arquitetura

Tel.: 11 5584-5277
nupeha@hospitalarquitetura.com.br